segunda-feira, agosto 21, 2006

O objectivo

“Quando alguém procura pode acontecer que os seus olhos vejam apenas a coisa que ele procura, que não permitam que ele a encontre porque ele pensa sempre e apenas naquilo que procura, porque ele tem um objectivo, porque está possuído por esse objectivo. Procurar significa ter um objectivo. Mas encontrar significa ser livre, manter-se aberto, não ter objectivos.”

in Siddharta – Herman Hesse

Siddharta explica de uma forma simples e quase ingénua (como só os grandes sábios o sabem fazer) que se temos um objectivo, não vemos o que está à frente dos nossos olhos, perdemos a essência de outras coisas que se atravessam no nosso caminho. Depois de uma roadtrip de duas semanas pelo reino de Marrocos, que deitou por terra várias ideias pré-concebidas que eu tinha desarrumadas na minha cabeça, agora posso subscrever com mais convicção esta ideia. Devemos tentar não ter objectivos nas viagens (feito quase impossível). É muito melhor descobrir um restaurante fantástico do que ir cegamente ao restaurante que um amigo aconselhou. É muito melhor descobrir uma bela livraria numa rua perdida de Paris do que ir à Torre Eiffel. É muito melhor perdermo-nos numa cidade do que encontrar uma morada. Este é um processo de libertação que ainda estou a aprender. Claro que certas armadilhas para turistas, certas visitas obrigatórias, certas encenações fotográficas e certos ex-líbris têm mesmo de fazer parte do processo de conhecimento das novas geografias, mas muitas vezes essas certas paragens, só existem para as pormos atrás das costas. Seen it, done it, photographed it. Next!
Cenário utópica para a minha próxima viagem: saio de casa só com um caderno debaixo do braço, vou até ao aeroporto, escolho um destino de olhos fechados e lá vou eu. Se for parar a Faro não me importarei, olharei para Faro com o mesmo espírito como se estivesse a chegar a Chefchaouen, Istambul ou Samarcanda.

3 comentários:

ACME disse...

Agora que voltaste dos camelos já te posso retribuir o almoço... ; )

Mr Tambourine disse...

Depois desse Siddharta, veja o Profeta do Khali Gibran. Ele demorou 25 anos pra escrever, vale a pena dedicar uma semaninha ao livro. Depois lê o 24 horas de cabo a rabo para balancear. :D

O Meu Outro Eu Está a Dançar disse...

"se souberes onde vais, chegas lá primeiro"