quinta-feira, janeiro 18, 2007

Roberto





Este é um museu perdido em Bruxelas e no tempo, estivemos lá várias horas enquanto a Lua brincava na cozinha com comida de madeira. No tempo em que explorei as dezenas de salas e recantos não entrou ninguém e nenhum segurança ou empregado se preocupou em nos afastar das milhares de precisosidades em forma de bonecas, aviões, tin toys, comboios, marionetas, patos, soldados de chumbo, mealheiros de todas as formas, carros de todos os tamanhos, ursos a beber chá, mini-teatros, eléctricos à escala real, legos e meccanos do tempo em em que eram novidade, entre tantas outras variedades. À conversa com um dos empregados, sul-americano e construtor de pillatas (julgo eu, uns efémeros bonecos de papel com doces lá dentro), digo-lhe que o nome dele é perfeito para aquele trabalho. "Roberto" é sinónimo de fantoche. À saída um robot da minha altura piscou-me o olhou como quem diz: espero que tenham gostada da caminhada romanesca do outro lado do espelho.

2 comentários:

tita disse...

Especialmente da parte da Lua a brincar na cozinha. Por onde andava o Sol?

Anónimo disse...

Beijinhos à Tita, à bonequinha e ao pai da bonequinha. E já agora ao Sr. Funesto :)