quarta-feira, junho 27, 2007

respira

"[...] sentes água nos pulmões? pressão no peito?
não é água. é acidez, é amargura.
é um peso de chumbo, é carvão que já ardeu.
vai apanhar penas e rebola na lama, bem que o podias fazer.
vai à merda, filho de uma égua. vai à merda.
então, que é isso, não desistas. respiras ainda.
perdeste o brilho? que é isso que se ouve quando ris?
é nada, mais que nada. é oco.
vai à médica. a senhora doutora lá saberá que comprimidos te vão curar.
é riso gravado. é contentamento de nada. é um reflexo condicionado.
sabes lá tu. não consegues é ver o que realmente importa. não te estás é a ver bem.
inventas. deliras. tu o que tens é febre. tosse lá para eu ouvir.
vai à merda, filho de uma égua. vai mas é à merda.
é preciso paciência para ti, realmente. vamos lá outra vez. o que é que tens tu afinal?
nada, menos que nada. vontade de correr. mas fumo demasiado, e tenho tosse.
então deixa lá de fumar, faz uns sumos, dorme como deve ser. e vais ver que isso passa.
não tarda estás a correr a maratona.
corre tu, não te disse já para ires à merda?
e vou, deixa-lá isso. tens tudo o que é preciso. outros no teu lugar andavam contentes.
claro que andavam. tens toda a razão. tu e os outros todos. todos têm toda a razão. todos sabem o que é bom. mas isso dá me cá um abalo ao pífaro que nem calculas.
então e vais ficar nesse estado? feito parvo?
não.
não? e o que é que vais fazer?
não sei.
mau. és mesmo parvo. vá, tens que pensar como é que mudas, ora essa!
como sempre. fico na mesma. será o que for. como for. posso fingir que sei mais do que sei. mas não é verdade. vou inventar.
isso não é nada inteligente....
hahahaha pois não. nunca tive grande queda para decisões inteligentes. [...]"

1 comentário:

nãopassa disse...

... de mim pra mim...

interessante.