quinta-feira, agosto 18, 2005

A minha língua era a minha Pátria

caderno07

Segundo a lenda um em cada dez habitantes de Paris é português (ou filho de portugueses). Mas nenhum francês é capaz de reconhecer o português, julga que se trata de italiano ou espanhol. Somos realmente os chineses da Europa, formigas atarefadas que ninguém dá por elas, sem deixar marca, sem incomodar, porque assim não temos problemas.
Se os outros não nos vêm, será que existimos?

4 comentários:

Sr. Funesto disse...

É fácil descobrir os portugueses ali imigrados, descobrem-nos pelo vocabulário. Eles dizem coisas como "pubela". É assim na França.

Anónimo disse...

O desenho é do Nefasto?
Blogues há muitos, mas poucos com desenhos tão bem esgalhados. Continuem. Estou de férias, mas estou convosco.
Os portugueses são muito muito menos que os chineses e os franceses é que têm a mania que são superiores!
Alice dixit

Sr. Nefasto disse...

Lá isso é verdade. Eles têm a mania. Os espanhóis também. Todos os povos têm a mania que são o umbigo do mundo. Quando sabemos tão bem que esse umbigo - que existe, Foucault encontro-o - fica no Alentejo, Portugal.

aprendiz disse...

Já estive em Paris várias vezes, percorri as ruas mais conhecidas e mais faladas e não me recordo de ver esta fachada...
Já sei!!!
Terei que voltar a Paris e encarnar uma personagem de banda desenhada...
assim sim!..
Muito giro mesmo!!!
Parabéns