segunda-feira, maio 28, 2007

Natureza Morta de Festa

Img031



O optimista verá um romântico encontro na rua, talvez de dois vagabundos apaixonados.

O pessimista um encontro romântico fracassado, com as flores abandonadas e uma

garrafa que foi bebida em solidão junto a uma porta que não se conseguiu abrir.

4 comentários:

miss_blythe disse...

Eu vejo um encontro entre dois desconhecidos:
Ele levava as rosas para oferecer à mulher pelo 4º aniversário de casamento.
Ela levava o champanhe e os copos de plástico para inaugurar a casa nova de uma amiga.
Cruzaram-se, olharam-se, mediram-se, desejaram-se, possuíram-se e, envergonhados, abandonaram-se ali, no mesmo sítio, sem olhar para trás.
O que fez com que ele, que se esqueceu das rosas, tenha ido para casa todo amarrotado, tido a última discussão da sua vida com a futura ex-mulher e, no final, arrancado os cortinados da sala que condiziam com o forro das cadeiras da mesa de jantar.
Ela, que deixou o champanhe, pensou que tinha sido mesquinha na escolha da marca e que uma casa nova merecia copos de vidro, por voltou ao supermercado e fez o caminho de volta com copos a tinir e alguma expectativa na alma.
Desde então, todos os anos, no mesmo dia, à mesma hora, ele deixa um ramo de rosas no sítio onde a vida dele mudou.
Ela não sabe disso. Mudou-se para Amsterdão, onde há inaugurações de casas quase todos os dias.

Sr. Nefasto disse...

E vês bem.

Gosto da ideia de por flores nos sitios onde a vida muda.
É bem melhor do que a mania de por flores nos sitios onde a vida termina.

SR. LDA disse...

Esta imagem parece um quadro a óleo!
Boa Zeca!

Abssinto disse...

Óptimo post...São sempre tristes os finais de uma festa.