sexta-feira, abril 07, 2006

Partir

Quebrar, abandonar, dividir, deixar para trás.

Eu sei que vou voltar. Tenho o trabalho. A casa e o carro.
E os outros trabalhos. E a família.
Mas até o mais desiludido dos homens, sonha com o improvável.
Com a oportunidade de virar tudo de pantanas.
De dizer que já chega disto, agora não aturo mais ninguém.

Até um céptico sonha com o fim desta digestão difícil de vida.
Vou inventar uma série para o 28. Para me ajudar nestas últimas horas na agência.
Que a agência faz sempre questão de te mandar de férias no limite do suportavél.
Quando estás prontinho para que te alterem o que quer que seja e teres desculpa para arrancar algumas cabeças.

Vou sonhar com a série do 28, para me embalar até ao meu destino.

Um, pelo Mundo onde todos os encontros são possíveis.
Dois, pelo Sol e a Lua em eterno devir.
Três, pelos lados do Triângulo.
Quatro, pelos Elementos Primordiais.
Cinco, pelos dedos da Mão que tudo transforma.
Seis, pelo primeiro Número Perfeito.
Sete, pela Arte que não nos deixa perecer.
Oito, pelos Amigos de viagem.
Nove, pelos Planetas onde acreditamos um dia chegar.
Dez, pela Regra e pela Medida.
Onze, pelo Fim do Dez.
Doze, pelo Ciclo Completo.
Treze, pelo Aleatório.
Quatorze, pelo Passado e pelo Futuro.
Quinze, pela Fénix.
Dezasseis, pelo Desassossego.
Dezassete, pela Mulher.
Dezoito, pelo Medo de não conseguir.
Dezanove, pela Perda.
Vinte, pelo Sangue e pelo Vinho.
Vinte e Um, pelo riso e pelo Choro.
Vinte e Dois, pela Mentira que nos mata.
Vinte e Três, pelo Caminho.
Vinte e Quatro, pelo Esquecimento que acalma.
Vinte e Cinco, pela Falta e pela Ânsia.
Vinte e Seis, pela Miséria e pelo reflexo.
Vinte e Sete, pelo Deserto.
Vinte e Oito, pelo segundo número perfeito.

Esta foi a série do 28.
São 23 horas e 29 minutos.
E não devia estar sozinho.

2 comentários:

anita_vai disse...

Nunca se está sozinho quando se tem uma cabeça tão cheia de presenças. Parabéns muito atrasados e boa viagem, seja qual for o destino.

Sr. Funesto disse...

Se o 23 é o caminho, então tenho de falar nisso.

"O CAMINHO FAZ-SE A CAMINHAR."
- António Machado

E aventuro-me a dizer que as melhores pegadas são aquelas que consegues deixar em ti mesmo.